Como captar recursos para reestruturação de hospitais filantrópicos - GesSaúde
Voltar

Como captar recursos para reestruturação de hospitais filantrópicos

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Linhas de crédito para a Saúde e legislação específica devem ser utilizadas para aprimorar a gestão

Por Editorial GesSaúde

A crise financeira e os inúmeros desafios do setor de Saúde brasileiro deixaram em condições fragilizadas de operação não apenas hospitais privados. Os filantrópicos, como as Santas Casas, já enfrentavam dificuldades há décadas e, para muitas dessas instituições, a situação piorou. Em 2019 são esperadas ainda mais transformações no mercado como um todo, e manter as contas em dia vai exigir esforço e mudança de cultura da gestão hospitalar. Para isso, as filantrópicas podem contar com linhas de crédito e legislações específicas para reestruturar e até fazer novos investimentos na entidade. Mas, para que essa medida seja acertada, o foco deve ser a melhoria da gestão.

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) publicou, em setembro de 2018, um programa de crédito destinado a entidades hospitalares filantrópicas e sem fins lucrativos participantes do Sistema Único de Saúde (SUS). Essas entidades podem usar recursos do FGTS para financiamentos voltados para construção e reforma de hospitais, aquisição de equipamentos, compra de bens de consumo duráveis e de tecnologia da informação. Os juros são de 8,66% ao ano.

Já a Caixa Econômica Federal possui a linha de crédito Caixa Hospitais. Esse financiamento também é específico para entidades filantrópicas e filiais de entidades não filantrópicas conveniadas ao SUS que tenham recursos financeiros a receber do Ministério da Saúde (MS)/Fundo Nacional de Saúde (FNS) referentes aos serviços ambulatoriais e de internações hospitalares. De acordo com informações da Caixa, o valor desse crédito é limitado à capacidade de pagamento da instituição. Dessa forma, a parcela do financiamento não pode ultrapassar 35% da média aritmética simples do faturamento da entidade nos últimos 12 meses junto ao SUS.

Garantir recursos financeiros é apenas o primeiro passo de uma grande transformação pela qual as filantrópicas devem passar para tornar a operação sustentável. Sem um modelo de gestão estruturado com planejamento estratégico, gestão por processos, busca de eficiência, um time qualificado, e a compreensão de que o hospital, mesmo que seja filantrópico, deve gerar lucro, pois necessita também de investimentos e crescimento, as linhas de crédito pouco farão e o risco de aumentar as dívidas é grande.

O balanço financeiro das organizações sem fins lucrativos deve, como todas as outras, fechar o mês no azul. Para manter a compra de insumos, o pagamento dos recursos humanos, investir nas instalações e modernizações e cumprir todos os seus compromissos financeiros, a entidade deve ter a capacidade de gerar caixa de forma consistente, evitando ao máximo a ampliação das dívidas.

Para alcançar esse equilíbrio, é preciso organizar a casa internamente. O gestor deve aplicar métricas de compliance e gestão por processos para saber em quais áreas estão os gargalos de desperdício e possíveis desvios. A gestão deve ser focada em resultados, motivando as equipes tanto da área assistencial como do backoffice a buscar maior eficiência na operação. Portanto, captar recursos através da ampliação do endividamento, por mais desafiador que pareça, é só o início dessa mudança profunda e tão urgente para as filantrópicas e não resolve os problemas estruturais que geraram a necessidade.

Enfrentar os novos desafios que seguirão ao longo de 2019 demanda não apenas equilíbrio financeiro e eficiência operacional, mas também uma mudança de cultura capaz de garantir qualidade no atendimento e segurança ao paciente, bem como os recursos (geração de caixa) para manter o hospital vivo. Grande parte dos brasileiros utiliza os serviços das organizações filantrópicas para cuidar da saúde – e, por isso mesmo, a responsabilidade é ainda maior.

Saiba mais:

2019 promete novos desafios para os hospitais

O papel do líder na condução dos processos

Fee-for-service: modelo de pagamento está à beira da falência


17 de janeiro de 2019 | Atualizado dia 8 de janeiro de 2020


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: definição de metas e indicadores

Estratégias devem ser elaboradas com o auxílio de indicadores para garantir a obtenção dos objetivos da organização de Saúde Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Plano estratégico: entenda a importância na gestão da Saúde

De forma simplificada, o plano estratégico é o resultado do planejamento estratégico e deve ser compartilhado com todas as equipes…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestão hospitalar: os cinco pilares da maturidade

Focar estratégias apenas em tecnologias não garante resultados eficazes; conheça as estruturas da maturidade de gestão hospitalar  Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Experiência do cliente e a importância do BPM na Saúde

Gerenciamento de processos executado de forma eficaz contribui para a satisfação e experiência do cliente Por Fabiana Freitas A experiência…Leia mais.

Gestão da Saúde

Estratégia competitiva como forma de perpetuar a organização

Em um cenário de competitividade extrema e de transformações constantes, a estratégia competitiva é fundamental para o negócio Por Roberto…Leia mais.

Gestão da Saúde

Entenda o processo de modernização da gestão

Engajamento e treinamento de pessoas fazem parte do amadurecimento e processo de modernização da gestão Por Roberto Gordilho A visão…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestão do capital: entenda o movimento de financeirização na Saúde

De milhões para bilhões de reais, o setor de Saúde precisa de profissionalizar a gestão do capital Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Por que o modelo de remuneração torna a Saúde ineficiente

Volume de procedimentos gerado e repasse de reajustes para clientes, são algumas das dificuldades do atual modelo de remuneração Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Oportunidades de crescimento da Saúde no Brasil

Análise mercadológica e econômica apresenta bons motivos para organizações apostarem na Saúde no Brasil Por Editorial GesSaúde As oportunidades de…Leia mais.

Gestão da Saúde

A prescrição digital pode combater as fraudes de receita médica?

Por Rafael Moraes* A falsificação de documentos médicos é mais comum do que se pode imaginar. Para se ter uma…Leia mais.

Gestão da Saúde

Entenda o valor na Saúde para os 4 principais atores

Entrega de resultados e eficiência demanda que o gestor saiba oferecer valor na Saúde para os stakeholders Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: a importância do acompanhamento

A segurança do negócio e o alcance de metas exige acompanhamento rotineiro do planejamento estratégico Por Roberto Gordilho O final…Leia mais.

Gestão da Saúde

Cenários para enriquecer o planejamento estratégico

Ambientes externos e internos devem ser avaliados durante a produção do planejamento estratégico para a instituição Por Roberto Gordilho A…Leia mais.

Gestão da Saúde

Como alinhar a estratégia empresarial ao modelo operacional

Maturidade de gestão é o caminho para que a estratégia empresarial seja alinhada ao modelo de operação da instituição Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Tempestade perfeita: por que a Saúde é diferente

Manter a segurança do negócio e o crescimento demanda buscar oportunidades nas transformações da tempestade perfeita Por Roberto Gordilho Uma…Leia mais.

Gestão da Saúde

A expectativa do cliente da Saúde mudou

Organizações precisam mudar o mindset para compreender a expectativa do cliente da Saúde Por Roberto Gordilho As  novas tecnologias, a…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: como aplicar o 5W2H na gestão da Saúde

Ferramenta auxilia a identificar e especificar estratégias que devem constar no planejamento estratégico da organização Por Editorial GesSaúde Melhorar a…Leia mais.

Gestão da Saúde

Incorporar soluções de suporte à decisão clínica ao fluxo de trabalho pode fazer a diferença na Saúde

Em épocas de internet of things (IoT), inteligência artificial, realidade aumentada, big data, fica meio difícil imaginar nossas vidas sem…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestores extraordinários: o passo a passo para o sucesso

Roberto Gordilho apresenta curso inovador para todos que ocupam ou querem ocupar cargos de gestão e se tornarem gestores extraordinários…Leia mais.

Gestão da Saúde

Maturidade de gestão: vídeos mais acessados de 2019

Roberto Gordilho apresenta os conceitos mais relevantes para a maturidade de gestão na Saúde no canal GesSaúde do Youtube Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

O que é maturidade de gestão na Saúde

Entenda o conceito de maturidade de gestão na Saúde.

Gestão Hospitalar

Gestão hospitalar: 10 artigos mais lidos do Portal GesSaúde

2019 foi um ano de transformações na Saúde em que os principais conceitos de gestão hospitalar foram fundamentais para os…Leia mais.

Gestão da Saúde

Ação imediata: entenda como o gestor pode usar essa estratégia

Plano de ação imediata é uma ferramenta de correção de erros a fim de antever cenários e determinar a melhor…Leia mais.

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos