Os seis aspectos da maturidade de governança clínica no hospital - GesSaúde
Voltar

Os seis aspectos da maturidade de governança clínica no hospital

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Sistema tem como objetivo garantir a excelência dos serviços de Saúde, contemplando qualidade da assistência e segurança do paciente

Por Editorial GesSaúde

Governança clínica é um sistema no qual as organizações se responsabilizam em melhorar continuamente a qualidade dos seus serviços, garantindo elevados padrões de atendimento e promovendo um ambiente de excelência em cuidados clínicos. O termo foi criado pelo National Health System (NHS), sistema de Saúde britânico, e se expandiu pelo restante do mundo até chegar ao Brasil. Mas, na prática, ainda há muitos desafios para a implementação do conceito nos hospitais do País.

O médico Rodrigo Leite, CEO da FSL Governance e especialista em gestão hospitalar, explica que a governança clínica é composta por seis principais fatores: auditoria clínica, educação permanente, efetividade clínica, gerenciamento de risco, pesquisa e transparência. “A aplicação destes conceitos deve acontecer em todos os serviços que objetivem atendimento clínico de alta qualidade, eficiência e eficácia”, destaca Leite. Conheça mais sobre cada um deles:

  • Auditoria clínica: proporciona o acompanhamento do desempenho clínico, tendo como base a comparação de resultados e medidas.
  • Educação permanente: tem como intuito a melhoria da qualidade e correção do mal desempenho. Deve-se ter como objetivo o desenvolvimento profissional contínuo, troca de ideias baseadas em evidências, compartilhamento de práticas eficazes, entre outros.
  • Efetividade clínica: trata-se da medida da extensão que uma intervenção atinge. Inclui a análise do quanto a intervenção é apropriada, considerando seus custos. O especialista indica que a prática clínica deve ser redefinida à luz das evidências de efetividade, considerando os aspectos da eficiência e segurança na perspectiva do paciente e da comunidade.
  • Pesquisa: a partir da coleta estruturada de dados gerados na assistência, geram-se ferramentas ativas que auxiliem na tomada de decisões dentro do hospital.
  • Transparência: todos os demais fatores devem estar associados à transparência na discussão sobre as ferramentas de governança clínica. É o desejo de disseminar as informações para gerar um clima de confiança, tanto internamente quanto externamente, na instituição. Assim, o paciente se torna o ponto central para as ações, que têm como claro objetivo a satisfação do cliente com o serviço prestado.

Leite avalia que todos esses fatores se tornam ainda mais importantes no atual cenário da Saúde, com a mudança no modelo de remuneração proporcionada pelo advento do pagamento por performance. O especialista ainda elenca que o aspecto mais importante para obter uma boa governança clínica é a maturidade de gestão dos líderes. “O desenvolvimento pessoal e da equipe multiprofissional é fundamental para o resultado. Os gestores precisam conhecer profundamente seus serviços e estar antenados com as mudanças que estão acontecendo no mundo. Conforme a própria NHS descreve em seu site, a governança clínica tem como objetivo assegurar padrões clínicos ótimos e, consequentemente, melhorar a qualidade das práticas clínicas. Logo, a aplicação dos instrumentos tecnológicos, permitirão o controle, a avaliação e o desenvolvimento dos profissionais e dos serviços com o foco na atenção voltada ao paciente, a sustentabilidade e qualidade dos serviços”, garante Leite.

O especialista ainda alerta que os hospitais brasileiros tem um longo caminho para percorrer quando o assunto é a governança clínica. “Na grande maioria das instituições, encontramos um cenário com informações e registros deficientes, baixa profissionalização da gestão e assistência fragmentada.”

Nesse ponto, Leite acredita que a tecnologia é um meio para um modelo mais maduro de governança clínica, mas não o único. “A utilização de novas tecnologias integradas com o uso de Inteligência Artificial (IA), para a realização de diagnósticos e/ou decisões clínicas, irá alterar de maneira significativa a relação entre o médico e o paciente. Também haverá grande impacto em algumas especialidades médicas onde o diagnóstico depende da avaliação de imagens, por exemplo. Com as IA’s os diagnósticos serão muito mais precisos e eficazes do que o olho humano.” Leite ainda cita o uso dos wearables (tecnologias vestíveis), que revolucionarão o diagnóstico e controle de doenças, exames em tempo real, tratamentos à distância, mapeamento genético, entre outras inovações que permitirão mudar o foco para prevenção, e não mais apenas para tratamento de doenças estabelecidas.

Diante de tantos avanços tecnológicos e das mudanças proporcionadas por eles, sai na frente o gestor que consegue incorporá-los em sua governança clínica de forma madura e com foco no alcance de excelência fundamental para as organizações do futuro.

Saiba mais:

O impacto da IoT e wearables na Saúde

Conceitos e tendências da gestão hospitalar

Comunicação e tecnologias auxiliam a gestão anestésica a manter a segurança do paciente

Foto: Freepik


12 de novembro de 2018 | Atualizado dia 9 de janeiro de 2020


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico é responsabilidade de todos

Todos os envolvidos na operação do negócio devem ter acesso ao planejamento estratégico para melhor implantá-lo Por Roberto Gordilho Em…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: definição de metas e indicadores

Estratégias devem ser elaboradas com o auxílio de indicadores para garantir a obtenção dos objetivos da organização de Saúde Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Plano estratégico: entenda a importância na gestão da Saúde

De forma simplificada, o plano estratégico é o resultado do planejamento estratégico e deve ser compartilhado com todas as equipes…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestão hospitalar: os cinco pilares da maturidade

Focar estratégias apenas em tecnologias não garante resultados eficazes; conheça as estruturas da maturidade de gestão hospitalar  Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Experiência do cliente e a importância do BPM na Saúde

Gerenciamento de processos executado de forma eficaz contribui para a satisfação e experiência do cliente Por Fabiana Freitas A experiência…Leia mais.

Gestão da Saúde

Estratégia competitiva como forma de perpetuar a organização

Em um cenário de competitividade extrema e de transformações constantes, a estratégia competitiva é fundamental para o negócio Por Roberto…Leia mais.

Gestão da Saúde

Entenda o processo de modernização da gestão

Engajamento e treinamento de pessoas fazem parte do amadurecimento e processo de modernização da gestão Por Roberto Gordilho A visão…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestão do capital: entenda o movimento de financeirização na Saúde

De milhões para bilhões de reais, o setor de Saúde precisa de profissionalizar a gestão do capital Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Por que o modelo de remuneração torna a Saúde ineficiente

Volume de procedimentos gerado e repasse de reajustes para clientes, são algumas das dificuldades do atual modelo de remuneração Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Oportunidades de crescimento da Saúde no Brasil

Análise mercadológica e econômica apresenta bons motivos para organizações apostarem na Saúde no Brasil Por Editorial GesSaúde As oportunidades de…Leia mais.

Gestão da Saúde

A prescrição digital pode combater as fraudes de receita médica?

Por Rafael Moraes* A falsificação de documentos médicos é mais comum do que se pode imaginar. Para se ter uma…Leia mais.

Gestão da Saúde

Entenda o valor na Saúde para os 4 principais atores

Entrega de resultados e eficiência demanda que o gestor saiba oferecer valor na Saúde para os stakeholders Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: a importância do acompanhamento

A segurança do negócio e o alcance de metas exige acompanhamento rotineiro do planejamento estratégico Por Roberto Gordilho O final…Leia mais.

Gestão da Saúde

Cenários para enriquecer o planejamento estratégico

Ambientes externos e internos devem ser avaliados durante a produção do planejamento estratégico para a instituição Por Roberto Gordilho A…Leia mais.

Gestão da Saúde

Como alinhar a estratégia empresarial ao modelo operacional

Maturidade de gestão é o caminho para que a estratégia empresarial seja alinhada ao modelo de operação da instituição Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Tempestade perfeita: por que a Saúde é diferente

Manter a segurança do negócio e o crescimento demanda buscar oportunidades nas transformações da tempestade perfeita Por Roberto Gordilho Uma…Leia mais.

Gestão da Saúde

A expectativa do cliente da Saúde mudou

Organizações precisam mudar o mindset para compreender a expectativa do cliente da Saúde Por Roberto Gordilho As  novas tecnologias, a…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: como aplicar o 5W2H na gestão da Saúde

Ferramenta auxilia a identificar e especificar estratégias que devem constar no planejamento estratégico da organização Por Editorial GesSaúde Melhorar a…Leia mais.

Gestão da Saúde

Incorporar soluções de suporte à decisão clínica ao fluxo de trabalho pode fazer a diferença na Saúde

Em épocas de internet of things (IoT), inteligência artificial, realidade aumentada, big data, fica meio difícil imaginar nossas vidas sem…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestores extraordinários: o passo a passo para o sucesso

Roberto Gordilho apresenta curso inovador para todos que ocupam ou querem ocupar cargos de gestão e se tornarem gestores extraordinários…Leia mais.

Gestão da Saúde

Maturidade de gestão: vídeos mais acessados de 2019

Roberto Gordilho apresenta os conceitos mais relevantes para a maturidade de gestão na Saúde no canal GesSaúde do Youtube Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

O que é maturidade de gestão na Saúde

Entenda o conceito de maturidade de gestão na Saúde.

Gestão Hospitalar

Gestão hospitalar: 10 artigos mais lidos do Portal GesSaúde

2019 foi um ano de transformações na Saúde em que os principais conceitos de gestão hospitalar foram fundamentais para os…Leia mais.

Gestão da Saúde

Ação imediata: entenda como o gestor pode usar essa estratégia

Plano de ação imediata é uma ferramenta de correção de erros a fim de antever cenários e determinar a melhor…Leia mais.

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos