Revolução 4.0 e a estabilidade organizacional na Saúde - GesSaúde
Voltar

Revolução 4.0 e a estabilidade organizacional na Saúde

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Novas tecnologias, modelos de relacionamento e mudanças na operação fazem parte da Revolução 4.0 na Saúde

Por Fabiana Freitas

A Revolução 4.0 tem impactado todas as indústrias e também a forma como as pessoas se relacionam no cotidiano. Porém, essa nova era mercadológica tem trazido um impacto enorme nas organizações de Saúde. Isso, porque, trata-se de um setor feito por pessoas e totalmente voltado para pessoas. Assim, é preciso que os gestores considerem cada vez mais os impactos que a Revolução 4.0 têm aplicado à operação dos negócios.

A busca por efetividade e aumento da eficiência é uma constante na gestão da Saúde. E por mais que os gestores consigam padronizar resultados e entregas, as características da Revolução 4.0 apresentam inovações e desafios que demandam uma reorganização da instituição. Assim, a organização deve conviver essa nova era e buscar flexibilidade. Isso implica em mudar o minding sete das organizações, transformar a forma como todos que participam do negócio enxergam as novas relações, novas tecnologias e as necessidades dos clientes. 

Dentro dos empreendimentos da Saúde, a realidade é que as pessoas estão sendo exigidas a pensar de forma ágil, que proporcione mudanças e tudo isso sem perder a qualidade e capacidade de entrega. Os resultados continuam importante, porém, com o desafio de vencer os curtos prazos, os anseios dos novos clientes que estão cada vez mais empoderados devido às novas tecnologias. Para muitos profissionais, esse processo pode parecer confuso.

Novas tecnologias

A indústria da tecnologia tem apresentado inovações e soluções cada vez mais disruptivas para a Saúde. Conhecer esses produtos e como implantá-los na operação do negócio de forma a aumentar a eficiência é um passo importante dentro da Revolução 4.0. Essas inovações pode ser, por exemplo: o compartilhamento do prontuário, por meio da interoperabilidade de sistemas, e o uso de dispositivos móveis para coletar informações do paciente em tempo real.

Estratégias

Para a gestão, garantir uma operação estável e saudável é elaborar constantemente novas estratégias. É preciso traçar e até mesmo rever seus objetivos. É necessário para o gestor que busca aumentar o amadurecimento capacitar e engajar os colaboradores diante os paradigmas da Revolução 4.0. E quando é possível traçar um caminho a seguir, a estratégia deve estar voltada para as formas com as quais a organização vai percorrer o traçado de forma acelerada e estável. 

Com as novas tecnologias de comunicação instantânea, as pessoas estão cada vez mais interligadas. E os processos de negócios em Saúde também estão. Por isso, o desafio é utilizar esse novo modelo de relacionamento para melhorar a operação, implantar  novas técnicas de gestão e preparar todo o corpo organizacional para as mudanças. Flexibilidade, capacidade, agilidade na mudança são as expressões que definem uma organização inserida na Revolução 4.0.


12 de março de 2020 | Atualizado dia 12 de março de 2020


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Liderança exponencial dentro das organizações de Saúde

Liderar é mais que gerir colaboradores, trata-se de uma habilidade que também exige sensibilidade humanitária Por Roberto Gordilho Em um…Leia mais.

Gestão da Saúde

Conceitos e aplicações do design thinking

Ferramenta é a principal fonte de solução de problemas e construção de produtos e está muito além dos post-it Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Métodos ágeis de gestão: uma realidade que veio para ficar

A Saúde está vivenciando um novo ambiente desafiador para a gestão, caracterizado pela volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade Por Roberto…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos