Times de Resposta Rápida: estratégia é voltada para aumentar a segurança do paciente - GesSaúde
Voltar

Times de Resposta Rápida: estratégia é voltada para aumentar a segurança do paciente

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Seguir protocolos e formar uma equipe multidisciplinar específica, fazem parte das estratégias para ampliar a qualidade do atendimento aos pacientes

Por Priscilla Martins*

A melhoria na qualidade dos serviços é uma busca constante das organizações de Saúde. Os desafios vão desde a redução do tempo de espera pelo atendimento até a minimização dos riscos de complicação. Um dos indicadores de qualidade assistencial é redução da taxa de mortalidade hospitalar. Para isso, segundo a ótica dos processos de acreditação, uma das estratégias voltadas para a segurança do paciente é a implantação dos Times de Resposta Rápida (TRR). 

O Time de Resposta Rápida é acionado conforme o protocolo institucional para a avaliação e atendimento de pacientes em casos de deterioração em relação a qualquer alteração ou desequilíbrio agudo e uma consequente Parada Cardiorrespiratória (PCR). Os critérios utilizados para o acionamento do TRR nas unidades são frequentemente denominados como código azul e  código amarelo. 

  • Código Azul: Para este acionamento o paciente encontra-se em situação PCR. O ideal é que a equipe assistencial local inicie as manobras até a chegada do TRR, que irá conduz a assistência terapêutica e liderar os membros do atendimento para a realização da assistência necessária. 
  • Código Amarelo: O acionamento é feito após o time de enfermagem avaliar o paciente e identificar que o mesmo possui critérios de deterioração, ou se enquadra nos scores estabelecidos pelo protocolo de acionamento do TRR. 

Além de realizar o atendimento ao paciente em menor tempo possível após o acionamento, é importante que o TRR possua documentações adequadas para realizar o registro específico do atendimento realizado. Essa é uma estratégia fundamental para que após a estabilização do paciente e definição da conduta clínica, seja possível a realização da continuidade do cuidado pelas demais equipes assistenciais. 

É importante que a instituição como um todo entenda e participe do protocolo de acionamento do TRR para evitar conflitos de papéis, demora na realização dos procedimentos, utilização de materiais desnecessários – evitando assim gastos excessivos e atendimentos ineficientes.

Para que o protocolo de TRR funcione adequadamente é importante que a instituição redobre a atenção em alguns pontos: 

  • A política institucional deve ser bem difundida entre os colaboradores;
  • Estabelecer os critérios de avaliação de deterioração do paciente e capacitar os colaboradores para realizar a avaliação correta do paciente;
  • Estabelecer os fluxos de deslocamento para o TRR e as metas de tempo para o início do atendimento após deslocamento;
  • Orientar todas as equipes que em caso de acionamento do TRR os pacientes que estavam sob os cuidados dos membros do TRR deverão ser atendidos pelos demais membros da equipe;
  • Possuir mecanismos de avaliação da qualidade da assistência prestada pelo TRR para avaliação da qualidade dos atendimentos;
  • Formar um TRR composto por equipe multiprofissional, sempre que possível com médico, enfermeiro e fisioterapeuta;
  • Estabelecer as rotinas das equipes de apoio para transporte e transferência do paciente.  
  • Possuir um plano de contingência, conhecido por todos, em casos de falha no acionamento do TRR.

É importante que o TRR tenha como rotina a reunião de alinhamento, que deve ocorrer de forma recente em relação aos chamados atendidos. Este momento servirá para avaliar as situações que ocorreram, identificar pontos fortes e fracos, para promover melhor alinhamento e direcionamento das condutas do TRR, assim como discutir práticas para oferecer feedback formal às equipes locais que identificaram os sinais de deterioração do paciente, acionaram o TRR e auxiliaram nos procedimentos durante o atendimento ao paciente. Portanto, o protocolo do TRR deve fazer parte de um processo de melhoria contínua na instituição, sendo monitorado e aprimorado conforme as necessidades do serviço de Saúde, visto que os times de resposta rápida podem reduzir a ocorrência de PCR e consequentemente a taxa de mortalidade hospitalar, promovendo melhoria na qualidade da assistência presta. 

*Priscilla Martins é enfermeira, especialista na área assistencial e consultora da GesSaúde. É classificadora de risco pelo protocolo de Manchester; especialista em enfermagem com ênfase em nefrologia e pós graduada em Gerenciamento de projetos.

Leia também:

Process mining: mineração de processos para aumentar a eficiência da operação

Engajamento do paciente melhora os resultados nos cuidados com a saúde

Filantrópicas: verba do governo federal pode ser usada para melhorar a gestão


11 de julho de 2019 | Atualizado dia 16 de julho de 2019


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: definição de metas e indicadores

Estratégias devem ser elaboradas com o auxílio de indicadores para garantir a obtenção dos objetivos da organização de Saúde Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Plano estratégico: entenda a importância na gestão da Saúde

De forma simplificada, o plano estratégico é o resultado do planejamento estratégico e deve ser compartilhado com todas as equipes…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestão hospitalar: os cinco pilares da maturidade

Focar estratégias apenas em tecnologias não garante resultados eficazes; conheça as estruturas da maturidade de gestão hospitalar  Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Experiência do cliente e a importância do BPM na Saúde

Gerenciamento de processos executado de forma eficaz contribui para a satisfação e experiência do cliente Por Fabiana Freitas A experiência…Leia mais.

Gestão da Saúde

Estratégia competitiva como forma de perpetuar a organização

Em um cenário de competitividade extrema e de transformações constantes, a estratégia competitiva é fundamental para o negócio Por Roberto…Leia mais.

Gestão da Saúde

Entenda o processo de modernização da gestão

Engajamento e treinamento de pessoas fazem parte do amadurecimento e processo de modernização da gestão Por Roberto Gordilho A visão…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestão do capital: entenda o movimento de financeirização na Saúde

De milhões para bilhões de reais, o setor de Saúde precisa de profissionalizar a gestão do capital Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Por que o modelo de remuneração torna a Saúde ineficiente

Volume de procedimentos gerado e repasse de reajustes para clientes, são algumas das dificuldades do atual modelo de remuneração Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Oportunidades de crescimento da Saúde no Brasil

Análise mercadológica e econômica apresenta bons motivos para organizações apostarem na Saúde no Brasil Por Editorial GesSaúde As oportunidades de…Leia mais.

Gestão da Saúde

A prescrição digital pode combater as fraudes de receita médica?

Por Rafael Moraes* A falsificação de documentos médicos é mais comum do que se pode imaginar. Para se ter uma…Leia mais.

Gestão da Saúde

Entenda o valor na Saúde para os 4 principais atores

Entrega de resultados e eficiência demanda que o gestor saiba oferecer valor na Saúde para os stakeholders Por Roberto Gordilho…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: a importância do acompanhamento

A segurança do negócio e o alcance de metas exige acompanhamento rotineiro do planejamento estratégico Por Roberto Gordilho O final…Leia mais.

Gestão da Saúde

Cenários para enriquecer o planejamento estratégico

Ambientes externos e internos devem ser avaliados durante a produção do planejamento estratégico para a instituição Por Roberto Gordilho A…Leia mais.

Gestão da Saúde

Como alinhar a estratégia empresarial ao modelo operacional

Maturidade de gestão é o caminho para que a estratégia empresarial seja alinhada ao modelo de operação da instituição Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Tempestade perfeita: por que a Saúde é diferente

Manter a segurança do negócio e o crescimento demanda buscar oportunidades nas transformações da tempestade perfeita Por Roberto Gordilho Uma…Leia mais.

Gestão da Saúde

A expectativa do cliente da Saúde mudou

Organizações precisam mudar o mindset para compreender a expectativa do cliente da Saúde Por Roberto Gordilho As  novas tecnologias, a…Leia mais.

Gestão da Saúde

Planejamento estratégico: como aplicar o 5W2H na gestão da Saúde

Ferramenta auxilia a identificar e especificar estratégias que devem constar no planejamento estratégico da organização Por Editorial GesSaúde Melhorar a…Leia mais.

Gestão da Saúde

Incorporar soluções de suporte à decisão clínica ao fluxo de trabalho pode fazer a diferença na Saúde

Em épocas de internet of things (IoT), inteligência artificial, realidade aumentada, big data, fica meio difícil imaginar nossas vidas sem…Leia mais.

Gestão da Saúde

Gestores extraordinários: o passo a passo para o sucesso

Roberto Gordilho apresenta curso inovador para todos que ocupam ou querem ocupar cargos de gestão e se tornarem gestores extraordinários…Leia mais.

Gestão da Saúde

Maturidade de gestão: vídeos mais acessados de 2019

Roberto Gordilho apresenta os conceitos mais relevantes para a maturidade de gestão na Saúde no canal GesSaúde do Youtube Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

O que é maturidade de gestão na Saúde

Entenda o conceito de maturidade de gestão na Saúde.

Gestão Hospitalar

Gestão hospitalar: 10 artigos mais lidos do Portal GesSaúde

2019 foi um ano de transformações na Saúde em que os principais conceitos de gestão hospitalar foram fundamentais para os…Leia mais.

Gestão da Saúde

Ação imediata: entenda como o gestor pode usar essa estratégia

Plano de ação imediata é uma ferramenta de correção de erros a fim de antever cenários e determinar a melhor…Leia mais.

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos