Voltar

Cultura de alta performance na Saúde: o fundamento está na liderança

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade

Liderar vai além de gerir pessoas, exige sensibilidade humana e visão estratégica para construir uma cultura de alta performance

Por Roberto Gordilho

A famosa expressão de Peter Drucker “A cultura come a estratégia no café da manhã”, é um convite para reflexão sobre a relação entre liderança, cultura e estratégia organizacional. O líder é a figura humana responsável por desenvolver a cultura entre as equipes. Por sua vez, para que as estratégias tenham efeito, elevem os resultados e promovam o crescimento da organização de Saúde, devem estar amparadas por uma cultura adaptada ao cenário disruptivo em que as mudanças acontecem em períodos curtos – cada dia mais!

A cultura de alta performance reúne um conjunto de comportamentos que fazem com que a instituição potencialize seu desempenho de forma equilibrada em todas as áreas. Trata-se da base motivacional que impele as pessoas para uma melhor performance, com foco na obtenção dos resultados, objetivos e metas de maneira inovadora e altamente adaptativa. 

E para que todos os níveis do negócio atinjam um padrão de excelência, a cultura deve estar intimamente relacionada aos objetivos estratégicos. O mundo da Saúde funcionou por bastante tempo no modelo clássico de planejamento, comando e controle. Respostas rápidas e adaptabilidade acelerada, contudo, mudaram os paradigmas do setor. Desenvolver a instituição nesse ambiente demanda engajamento e compromisso das pessoas.

E na cultura de alta performance os executivos encontram benefícios como:

  • Autonomia mercadológica;
  • Maximização da eficiência na entrega de resultados;
  • Atuação estratégica;
  • Liderança fortalecida e altamente preparada para novos cenários;
  • Crescimento organizacional;
  • Retenção de talentos;
  • Melhor posicionamento dentro do mercado;
  • Perenidade do negócio;
E como implantar?

Dentro da era exponencial, os líderes assumem capacidades que vão além da inspiração e engajamento. O primeiro sintoma de uma cultura de alta performance que realmente funciona é a sensação de que a liderança consegue contagiar a todos. Ou seja, os líderes propagam e divulgam a cultura de forma que as pessoas anseiam por fazer parte dessa realidade compartilhada. Elas assumem os comportamentos como se fosse um modismo. Porém, essa moda deve ser renovada constantemente para que o negócio ofereça integração, inovação e customização dos serviços. Alguns passos são essenciais na implantação da cultura de alta performance:

Primeiro passo: a estratégia

Conheça as metas e objetivos da organização de Saúde. Torne tudo claro e compreensível para todos dentro do negócio. Trata-se de um processo de conhecimento da instituição, para onde ela quer ir, como chegar e como ter uma comunicação fluida entre todas as pessoas inseridas no processo de crescimento.

Segundo passo: aproxime as lideranças

Se cada área da organização for para um lado, o processo de gestão e engajamento não será eficaz. Os líderes devem ser os primeiros a interagirem com a cultura e suas transformações momentâneas. Eles devem formar um grupo profissional coeso e que se identifique com as metas e objetivos. Assim, será mais fácil compartilhar e promover a cultura organizacional.

Terceiro passo: a comunicação

Com feedbacks claros e individualizados, as pessoas devem ser encorajadas a trocarem informações sobre o dia a dia dentro da organização de Saúde. É no compartilhamento de ideias e estreitamento de relações de confiança que as pessoas compreendem seus pontos fracos e aqueles passíveis de melhoria.

Quarto passo: potencialize as equipes

Para que possam dar o melhor de si e performar melhor, as pessoas precisam de competências e recursos. O treinamento constante e o compartilhamento dos valores da organização permitem criar um ambiente estimulante no qual as pessoas se sentem seguras para inovar. 

Quinto passo: adeque os processos de recrutamento

Essa etapa pode ser a menos desafiadora para os gestores de Saúde. Para uma cultura de alta performance eficaz e que traga benefícios e resultados, é fundamental que novas pessoas dentro da instituição estejam alinhadas com a dinâmica de performar cada vez melhor e em curto prazo. Por isso, o líder deve levar esse valor para as dinâmicas de contratação e recrutamento. 

A cultura de alta performance é uma via de duas mãos: depende das capacidades de conquistar o engajamento e habilidades humanista do líder, ao passo que também o fortalece para encarar novos desafios e saber se adaptar aos cenários disruptivos. Caso essa integração não aconteça, é sinal de que a condução do negócio deve ser remodelada, de forma a evitar que mais energia e recursos sejam consumidos em estratégias com pouco retorno.


16 de setembro de 2021 | Atualizado dia 16 de setembro de 2021


ÚLTIMAS POSTAGENS

Transformação Digital na Saúde

Como concorrer com os negócios que nascem digitais

Empresarialização da Saúde mostra às organizações o poder de negócios que nascem digitais por natureza, como as startups; a corrida…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Medicina digital: 05 tecnologias que transformam a profissão

Da operação robótica até a inserção da ciência de dados, a medicina digital permite que profissionais e organizações ampliem suas…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Tecnologias disruptivas na Saúde: o mundo dos superapps

Enquanto os superapps economizam tempo e dinamismo, os wearable devices jogam as organizações de Saúde para dentro dos lares Por…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos