Voltar

Gestão de custos para organizações de Saúde

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade

Diversas instituições estão perdendo eficiência e resultados por não praticar de forma correta a gestão de custos

Por Editorial GesSaúde

A segurança dos negócios em Saúde está diretamente associada à eficácia de uma boa gestão de custos. Por isso, o mercado está buscando gestores que dominem e saibam aplicar a gestão de custos de forma a melhorar a produtividade e reduzir os gastos. Porém, por conta da complexidade da operação das instituições, muitos profissionais se perdem no momento de gerir os custos e propor ações de melhoria dos resultados. É preciso dividir financeiramente a operação para compreender o que está dando resultado.

Ao contrário do que muitos gestores praticam, a gestão de custos não se resume ao corte de despesas. Além disso, é necessário compreender os conceitos que envolvem a gestão financeira e criar os centros de custos e de resultado dentro da organização de Saúde. Esse foi o tema da última sessão da mentoria ao vivo Papo com Gordilho, que acontece às quartas-feiras. O programa é conduzido pelo professor, CEO da GesSaúde e apresentador do canal do YouTube, Roberto Gordilho. O especialista recebe ao vivo convidados que compartilham os desafios que vivenciam nas organizações de Saúde em que atuam. O papel de Gordilho é orientar os profissionais e apresentar caminhos para uma gestão eficaz. 

Conceitos

Os gestores devem compreender os principais fundamentos que embasam a gestão de custos. São habilidades importantes para uma visão holística das finanças da organização de Saúde. Nesse sentido, é importante entender a diferença entre custo e despesa. O primeiro é o valor associado à realização de um serviço. Enquanto isso, a despesa é o gasto associado ao suporte e que que não esteja associado diretamente à produção, por exemplo, a mão de obra dos colaboradores lotatos na área administrativa.  

  • Custos fixos: são valores gastos periodicamente e que não dependem das nuances de operação. Por exemplo: aluguel, segurança e limpeza;
  • Custos variáveis: é aquele aplicado diretamente na realização de um serviço. Por exemplo: medicamentos.
Centros de custos e de resultado

O centro de custo, como o próprio nome propõe, está relacionado principalmente ao que as organizações desembolsam. Para criá-lo, é preciso organizar as atividades e catalogar as despesas e desembolsos de cada uma delas de forma eficiente. Os centros de resultado, por sua vez, são formados pelas áreas responsáveis pela geração de custos e também pela oferta de receitas.

Outra habilidade importante dentro da gestão de custos é saber dividir a organização de Saúde em áreas: 

  • Produtivas: aquelas que têm receitas diretas como centro cirúrgico, por exemplo;
  • De apoio: áreas que prestam serviços para os centros produtivos. Exemplos: farmácia e CME (Centro de Material e Esterilização)
  • Administrativas: são as áreas ligadas diretamente à operação da instituição, como por exemplo, financeiro e recursos humanos.
Papo com Gordilho

O Papo com Gordilho acontece sempre às quartas-feiras, às 19hs pelo perfil @gessaude no Instagram. Os interessados em participar devem se inscrever previamente – clique aqui a faça sua inscrição.

Acompanhe Roberto Gordilho nas redes sociais e se atualize diariamente com o melhor conteúdo de gestão na Saúde:

YouTube GesSaúde

Instagram GesSaúde


15 de janeiro de 2021 | Atualizado dia 14 de janeiro de 2021


ÚLTIMAS POSTAGENS

Transformação Digital na Saúde

Como concorrer com os negócios que nascem digitais

Empresarialização da Saúde mostra às organizações o poder de negócios que nascem digitais por natureza, como as startups; a corrida…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Medicina digital: 05 tecnologias que transformam a profissão

Da operação robótica até a inserção da ciência de dados, a medicina digital permite que profissionais e organizações ampliem suas…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Tecnologias disruptivas na Saúde: o mundo dos superapps

Enquanto os superapps economizam tempo e dinamismo, os wearable devices jogam as organizações de Saúde para dentro dos lares Por…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos