Voltar

O modelo SMART de definir as metas do negócio

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade

Amplamente usada por diversos negócios, a metodologia SMART auxilia gestores e líderes a definirem metas e objetivos claros

Por Roberto Gordilho

Ter metas e objetivos claros e bem estruturados é importante não apenas para o crescimento dos negócios. Mesmo nos projetos pessoais, saber onde se quer chegar é fundamental para escolher os melhores caminhos e estratégias de superação dos desafios. Apesar de parecer óbvio, muitos empreendimentos encontram dificuldades práticas em definir o desempenho organizacional. Geralmente, somente uma parcela dos gestores sabe claramente para onde estão conduzir o negócio, porém, as pessoas envolvidas na parte operacional ficam à margem desse conhecimento, o que torna lento o processo de crescimento sustentável.

No mundo corporativo, seja no setor Saúde ou em outras indústrias, a metodologia SMART ganha destaque por contribuir para o desenvolvimento dos projetos de negócios de forma ágil e com caráter inovador. Contudo, é preciso compreender como o conceito surgiu e se desenvolveu ao longo das décadas para extrair seu potencial por meio das experiências já realizadas. 

A relação entre metas e desenvolvimento organizacional foi abordada pela primeira vez no mundo acadêmico em 1968. Em seu artigo, “Rumo a uma Teoria da Motivação de Tarefas e Incentivos”, o professor doutor Edwin Locke estabeleceu um paradigma no qual metas estrategicamente bem elaboradas, definidas e compartilhadas pelas equipes resultam em desempenho organizacional superior. Naquela época, as organizações buscavam o crescimento investindo na mão de obra dos seus colaboradores, que deviam, mediante remuneração, desenvolverem o negócio e torná-lo sustentável. 

Locke foi psicólogo e professor aposentado de Motivação e Liderança na Escola de Negócios Robert H. Smith da Universidade de Maryland, College Park. Ele também era afiliado ao Departamento de Psicologia. Contudo, seus apontamentos fomentaram contribuições e uma visão prática para que de fato executivos de todo o mercado compreendessem como elaborar suas metas e objetivos e qual a importância desse processo para a evolução do empreendimento. 

Na verdade, foi apenas em 1981 que George T. Doran se debruçou sobre o trabalho do professor Locke para desenvolver uma maneira de orientar as organizações a descreverem suas metas e objetivos. De fato, Doran é reconhecido como o criador da metodologia SMART. Isso, porque, ao longo de sua obra ele apontou que as metas estabelecidas pela gestão dos empreendimentos tem pouco ou quase nenhum impacto significativo quando são pouco claras e ficam dispersas no ambiente da alta gestão. 

Pelo conceito SMART, as metas e objetivos não são valores abstratos dentro de um negócio. São, por outro lado, mensuráveis e que precisam ser compartilhados por todos dentro de uma organização para que ela seja alavancada. Ou seja, é preciso definir, medir e, por meio desses processos, atingir de forma sustentável as metas.

SMART

A expressão SMART (do inglês, esperto e astuto) é um acrônimo formado pelos adjetivos:

  • Specific: específico;
  • Measurable: mensurável;
  • Achievable: alcançável;
  • Realistic: realista;
  • Time based: temporal.

São esses pilares que direcionam o desenvolvimento de metas e objetivos realistas dentro das organizações. 

Metas específicas

O primeiro passo para aplicar a metodologia SMART é compreender quais são as metas que de fato vão proporcionar crescimento e melhoria para os projetos de negócio. Quando se define metas específicas, é preciso atender aos seguintes critérios:

  • O que? Aqui é preciso olhar para o negócio e compreender quais as necessidades, as metas que precisam ser atingidas. Por exemplo, se está acontecendo desperdícios na gestão de insumos médico hospitalares, a meta é reduzi-los;
  • Por que? Essa pergunta sustenta a anterior. Utilizando o mesmo exemplo: é preciso reduzir os desperdícios porque o faturamento está sendo prejudicado;
  • Quem? Agora, o gestor deve elencar quais são os líderes e equipes responsáveis pelo processo na qual a meta deve ser atingida;
  • Onde? Nessa etapa, é preciso compreender quais áreas compreendem o desafio a ser transposto para que a meta seja conquistada;
  • Como? Com as informações anteriores, é o momento de traçar estratégias e caminhos que permitam o alcance da meta.

Metas mensuráveis

As metas precisam ser possíveis de serem medidas e avaliadas.

Não adianta estabelecer metas que não podem ser medidas, que não podem ser desdobradas e periodicamente avaliadas.

Outra questão importante é defini quando, que evento, fato ou acontecimento, define que a meta foi alcançada.

Metas alcançáveis

Todo o trabalho de condução das ações dentro da metodologia SMART deve levar em consideração a estrutura disponível da organização. Para que uma meta seja alcançável, é fundamental que as pessoas tenham amplo suporte para desenvolverem suas ações em prol da melhoria contínua.

As metas devem ser desafiadoras, mas alcançáveis, metas impossíveis desestimulam a equipe.

Metas realistas

Se o desafio é eliminar os desperdícios de insumo médico hospitalares, ainda no exemplo inicial, cortar permanentemente o fornecimento é uma meta realista? Então, o parâmetro realista demanda que o gestor tenha uma visão holística de todo o negócio e também compreenda a dinâmica do cenário externo. Assim, será possível compreender quais são as ações que realmente podem ser colocadas em prática e as metas que o empreendimento de fato pode alcançar com os próprios recursos.

Estabeleça prazos

Os objetivos e as metas não são atemporais. Ou seja, é fundamental traçar um plano de ação que tenha prazos claros de execução e entrega de resultados (curto, médio e longa duração). 

O sucesso do SMART não depende apenas da definição das metas e objetivos pelos critérios da metodologia. Elas devem ser compartilhadas por meio de uma comunicação clara que atinja todas as equipes. Também, é essencial que os gestores acompanhem e controlem os processos, com base em indicadores e avaliações periódicas. É assim que o método SMART deixa de ser uma visão meramente filosófica e adentre na prática da gestão para transformar o negócio, impulsionar carreiras e orientar o trabalho individual dos profissionais.


7 de dezembro de 2021 | Atualizado dia 7 de dezembro de 2021


ÚLTIMAS POSTAGENS

Transformação Digital na Saúde

Blockchain na Saúde, muito além das criptomoedas

Quando o assunto é a segurança de dados, o blockchain surge como uma ferramenta fundamental e necessária para a gestão…Leia mais.

Transformação Digital na Saúde

Impressão 3D: o mundo sem estoques

Os benefícios da impressão 3D se estendem para além da medicina, otimizando a gestão de estoques e ampliando as possibilidades…Leia mais.

Transformação Digital na Saúde

Inteligência artificial, a maior revolução tecnológica de todos os tempos

Na Saúde, a inteligência artificial beneficia a gestão reduzindo custos e acelerando processos, além de fornecer suporte altamente confiável para…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos