O impacto das redes sociais na Saúde - GesSaúde
Voltar

O impacto das redes sociais na Saúde

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


As redes sociais podem contribuir para o processo de desenvolvimento de carreira e também para os negócios no setor

Por Roberto Gordilho

Transmitir uma mensagem por meio das redes sociais pode parecer um processo simples. Porém, para muitas pessoas o perfil pessoal e profissional são diferentes quando se trata de comportamento nas redes sociais. Principalmente no setor Saúde essa não é a realidade. Os dois perfis estão diretamente conectados nas redes sociais. Por isso, os profissionais devem se atentar à maneira como transmitem informações, opiniões e se comportam nas redes.

Como a Saúde é feita por pessoas e para pessoas, a imagem que os atuantes do setor transmitem podem interferir na carreira e no trabalho do dia a dia. Assim, as redes sociais podem ser o céu ou o inferno. Ou seja, os profissionais podem se valer das redes para se promoverem, aumentarem a reputação e respeito, além de melhorarem as relações dentro do mercado. Ou podem ser o inferno: a pessoa permite ser utilizada pelas redes sociais. Essa situação causa uma dicotomia entre a personalidade real e a interpretação que os usuários das redes fazem a partir de publicações, comentário, por exemplo.

Plano profissional

No caso da carreira dentro da Saúde, os profissionais devem acrescentar no plano profissional o comportamento nas redes sociais. De modo que, a atuação nas plataformas de comunicação esteja de acordo com os objetivos e metas da carreira. Um aspecto importante do plano profissional são as relações feitas dentro do mercado. Ou seja, são as pessoas que enxergam os resultados que o profissional entrega, possuem uma proximidade e afinidade com o comportamento e atuação no setor. 

Sendo assim, conforme as transformações na Saúde empoderam clientes e colegas de trabalho no meio web, é preciso se preocupar com a própria imagem nas redes sociais. E isso requer planejamento. Até porque, as plataformas de socialização digital permitem que as opiniões expressas sejam acessadas por milhões de usuários. E cada um pode ter uma interpretação diferente sobre o profissional. Dessa forma, avaliar o que pode ser publicado em rede e o que deve ser resguardado para relações mais próximas, como a família, por exemplo, é uma estratégia de melhoria do posicionamento na web.

LinkedIn

Cada rede social possui um perfil distinto de público. Para gestores e profissionais de Saúde, por exemplo, uma das plataformas mais recomendadas é o LinkedIn. O ambiente dessa rede tem como base pessoas que desejam se atualizar sobre o mercado, os atuantes no setor e como os usuários se comportam no meio profissional. Portanto, opiniões preconceituosas, compartilhamento de conteúdo que fogem da proposta da plataforma e comentários sem embasamento teórico são vistos como falta de maturidade profissional. E com a velocidade das transformações e compartilhamento de informações, um passo em falso pode prejudicar uma carreira em consolidação.


19 de março de 2020 | Atualizado dia 19 de março de 2020


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Liderança exponencial dentro das organizações de Saúde

Liderar é mais que gerir colaboradores, trata-se de uma habilidade que também exige sensibilidade humanitária Por Roberto Gordilho Em um…Leia mais.

Gestão da Saúde

Conceitos e aplicações do design thinking

Ferramenta é a principal fonte de solução de problemas e construção de produtos e está muito além dos post-it Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Métodos ágeis de gestão: uma realidade que veio para ficar

A Saúde está vivenciando um novo ambiente desafiador para a gestão, caracterizado pela volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade Por Roberto…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos